Ergonomia no trabalho: veja como escolher o apoio ergonômico para pés

Adotar os devidos cuidados com a ergonomia no trabalho reduz muito as chances de que os trabalhadores apresentem algum problema de saúde. Apoio ergonômico para pés, suporte para monitor e apoio para o pulso são apenas alguns dos exemplos.

Todos esses acessórios não são itens supérfluos ou um luxo para empresas com maior poder aquisitivo. O Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) determina que é dever da empresa oferecer aos seus colaboradores condições adequadas de trabalho.

Falando especificamente dos profissionais que passam o dia todo diante do computador, o apoio ergonômico para pés é um dos itens que não pode ser negligenciado. Você sabe o que levar em consideração para escolher o modelo ideal?

Apoio ergonômico para pés: qual é a sua função?

A função do apoio ergonômico para pés, também conhecido como descanso para pés, é permitir que quem está sentado encontre um ponto de equilíbrio entre a altura da cadeira e os pés. Independentemente da sua altura, o fato é que nossos pés ficam desconfortáveis com o passar das horas se não tiverem um apoio.

Por essa razão, os especialistas em saúde ocupacional recomendam que esse item seja disponibilizado aos trabalhadores, como forma de aliviar a musculatura das pernas e minimizar problemas de postura, impedindo o inchaço nos tornozelos e o surgimento de varizes nas pernas.

O que levar em consideração na hora de escolher um apoio para pés?

Muitos podem pensar que descanso para os pés “são todos iguais”. Embora a função deles seja a mesma, existem algumas características para serem observadas: o material de construção, os recursos extras e a portabilidade. Vamos entender um pouco mais sobre cada um deles.

Material de construção

A primeira característica a ser observada é o material de construção do apoio ergonômico para pés. Ele pode ser feito de plástico, de madeira, de alumínio e existem até mesmo modelos infláveis. Cada um deles tem os seus pontos positivos e negativos.

Os modelos de plástico e madeira são os mais comuns. Enquanto o primeiro é mais leve e menos resistente, o segundo é mais pesado e duradouro. Os apoios de plástico podem ser limpos com maior facilidade e costumam custar um pouco menos.

Já os modelos de alumínio são mais raros, assim como os infláveis. Esses últimos são insuperáveis no quesito conforto, mas são menos duráveis e sujam com mais facilidade. A dica é testar cada um deles para ver qual se adapta melhor às suas necessidades.

Recursos extras

Quanto aos recursos extras, a criatividade dos fabricantes é o limite. Entre os mais comuns podemos destacar a inclusão de borrachas antiderrapantes. Elas tornam o contato dos pés com a superfície mais firme e, por essa razão, esses modelos são considerados melhores, custando um pouco mais.

Outra característica recorrente é a ajustabilidade. Há modelos com regulagem de altura, de dois ou três níveis, que podem ser mais adequados para pessoas mais altas ou mais baixas. A versatilidade acaba sendo um quesito importante a ser considerado, então há justificativa para que esses modelos custem um pouco mais.

Portabilidade

O último quesito a ser observado é a portabilidade. Se você tem costume de levar o seu apoio para pés de uma mesa para outra na empresa, então escolher um modelo mais leve pode ser uma boa ideia. Os apoios de plástico e os infláveis são os que tem transporte mais fácil. Já os de madeira ou alumínio são mais pesados.

Embora essa seja uma característica secundária, não observada pela maioria dos consumidores, vale a pena considerar o uso que você fará do acessório. O importante é que você crie o hábito de nunca se sentar à mesa e passar horas diante do computador sem um apoio adequado.

.....

A Contabilista conta com uma linha completa de apoios ergonômicos para pés. Consulte quais são os nossos modelos disponíveis e não deixe que os colaboradores da sua empresa estejam sujeitos a problemas de coluna ou nas pernas em função da não utilização desse tipo de equipamento.

Fonte(s): Review Box