Conheça a história da caneta BIC que mudou a escrita para sempre

Basta procurar na sua gaveta agora ou mesmo na mochila que é bem provável que você encontre uma caneta – e há grandes chances que ela seja uma BIC. A história da caneta BIC se confunde com a evolução das canetas como ferramenta de escrita.

Criada na França, em 1944, essas pequenas esferográficas vêm escrevendo o seu nome na história desde então. Sucesso absoluto há mais de 70 anos, elas continuam firmes e fortes no mercado internacional. Você conhece a história por trás desse grande ícone do último século? Vamos viajar no tempo e entender como tudo começou.

O início na França

O ano era 1944. Nessa época Marcel Bich, ex-gerente de produção de uma fábrica de tintas, decidiu comprar uma pequena fábrica na cidade de Clichy, ao norte de Paris, na França. Juntamente com seu sócio, Edouard Bouffard, eles começaram a produzir peças para canetas-tinteiro e lapiseiras.

Inicialmente, ambos fabricavam peças para outras marcas, mas uma patente registrada em 1935 começava a fazer sucesso: as canetas esferográficas, criadas pelo húngaro László Bíró. À medida que o inventor refinava o processo de fabricação das canetas, elas se tornavam mais precisas, mais baratas e mais populares. A dupla viu aí uma oportunidade de investimento.

Foi assim que em 1950 a BIC apresentou ao mundo a BIC Cristal. Com um acabamento de ótima qualidade e preço acessível, o sucesso foi imediato e os franceses passaram a associar o termo BIC às canetas. No ano seguinte, o produto começou a ser exportado e a Bélgica foi o primeiro país a recebê-las. Na mesma década, a BIC começou a ser vendida na Itália, na Holanda, na Áustria, na Suíça e na Espanha.

A BIC chega ao Brasil

As primeiras canetas BIC, ainda importadas, começaram a chegar ao Brasil em 1956. No entanto, devido à grande procura, quatro anos depois a empresa inaugurou uma fábrica em São Paulo, iniciando a sua expansão pela América do Sul. Dali em diante não houve mais limites: países da Oceania e Estados Unidos começaram a receber as canetas, cujas vendas não pararam mais de crescer.

O sucesso nos anos 50 e 60 fez com que no final da década a empresa começasse a pensar em ampliar o seu portfólio. A ideia era aproveitar a ampla distribuição de produtos ao redor do mundo para colocar outros itens nos pontos de venda. Isqueiros e barbeadores descartáveis foram os produtos escolhidos.

Por meio da compra de outras empresas, a BIC montou subsidiárias em várias partes do mundo. Companhias como a Conté, conhecida pelos seus materiais para colorir, e a Pimaco, fabricante de etiquetas adesivas, foram algumas das formas encontradas pela empresa para ampliar o seu alcance no mercado.

Uma linha ampla de produtos

A BIC conta hoje com centenas de produtos, distribuídos nos mais variados tipos de linhas. Itens de papelaria, materiais escolares, isqueiros, barbeadores descartáveis, pilhas, etiquetas adesivas, colas, corretores e muito mais. Basta acessar a loja virtual da Contabilista e procurar pela marca para se ter uma ideia da grande quantidade de produtos ofertados.

BIC: ficha técnica da empresa

  • Origem: França 
  • Fundação (oficial): 25 de outubro de 1945 
  • Fundadores: Marcel Bich e Edouard Bouffard 
  • Sede mundial: Clichy, França 
  • Proprietário da marca: Société Bic S.A. 
  • Faturamento: €1.97 bilhões (2014) 
  • Lucro: €262.1 milhões (2014) 
  • Valor de mercado: €6.7 bilhões (setembro/2015) 
  • Presença global: 160 países  
  • Funcionários: aproximadamente 9.550 
  • Principais produtos: Canetas, corretores, colas, lápis, isqueiros e barbeadores.